domingo, 20 de maio de 2018

QUANDO O CRIME COMPENSA:

Denunciado por fraude, Carlos Farias "vira" assessor do prefeito de Birigui!
Carlos Farias e o prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão (Foto: site Araçatuba e Região). 
O prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão (PTB), ao que tudo indica, nomeou para ocupar o cargo de “Assessor Técnico”, o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico e Relações do Trabalho no governo Cido Sério (ex-PT), Carlos Farias, na Prefeitura de Araçatuba. Farias, responde junto com o próprio Cido Sério (hoje PRB), e mais 15 pessoas à um rumoroso processo por fraude em licitações que atinge cerca de R$ 432 Milhões! Este processo (nº. 0001773-82.2014.4.03.6107), foi aberto pelo MPF – Ministério Público Federal em 2014 onde o promotor Paulo de Tarso Garcia Astolphi acusa Cido Sério, seus ex-secretários Carlos Farias, Evandro Silva, Ederson Silva entre outros, de participarem de fraudes que causaram um gigantesco prejuízo à estatal TRANSPETRO, subsidiária da Petrobrás, cujo presidente na época, Sérgio Machado, é alvo na Operação Lava-Jato. O processo se arrasta, tendo já sido enviado para o Rio de Janeiro, sede da Petrobrás, depois para o STJ em Brasília e retornou à Araçatuba onde jaz na lª. Vara Federal. No entanto, a participação de Carlos Farias vai além desse processo em si. Farias era (ou é) presidente de uma entidade quase fantasma, a COOPERHIDRO, criada por ele nos anos 90 com a finalidade de explorar o transporte e armazenamento na incipiente hidrovia Tietê-Paraná.

Carlos Farias, durante o governo de Domingos Andorfato, conseguiu com aprovação da Câmara de Vereadores, a “doação por Comodato”, de uma imensa área pública ao lado do Rio Tietê ( cerca de 41,2 mil metros quadrados), onde ele pretendia erguer barracões, galpões, destinados ao funcionamento de uma espécie de porto intermodal. Ele antevia que a hidrovia Tietê-Paraná iria trazer grandes benefícios para o transporte de grãos, cana e etanol. Mas, o sonho não saiu do papel. A lei aprovada pelos vereadores e sancionada pelo prefeito à época, previa entre outras coisas, que caso, a empresa COOPERHIDRO, não iniciasse a construção dos propalados prédios e os concluísse em 36 meses, a área doada deveria ser devolvida ao poder do Município. Espertamente e cheio de “boas intenções”, Carlos Farias nunca colocou um tijolo sequer no local e, quedou-se silente. Se fingiu de morto. O tempo passou, mudou-se os vereadores, prefeitos se sucederam e o assunto caiu no esquecimento. A tal COOPERHIDRO não devolveu o terreno pertencente ao patrimônio público e Carlos Farias, ficou quase 20 anos na posse indevida do imóvel.

Farias, segundo se sabe, era servidor municipal lotado na Zoonose da prefeitura. Mas, muito esperto, bom de conversa e cheio de boas relações políticas, conseguiu ser nomeado secretário municipal pelo ex-prefeito Jorge Maluly Neto e nunca mais deixou os altos escalões do poder municipal. Eleito em 2008, Cido Sério, enxergou nele, qualidades e virtudes mantendo-o como secretário municipal. Que, à exemplo de outros servidores municipais prestigiados, tem acesso à muitas informações privilegiadas, valiosas. Assim, logo no início de seu governo, Dilma vem à Araçatuba em meio ao grande carnaval da corrupção montado pelo PT, lançar as bases do grandioso empreendimento, a “menina dos olhos” de Cido Sério, a “jóia” da coroa de Lula, Estaleiro Tietê. Lula prometia a geração de milhares de empregos, a construção de barcaças para a Petrobrás. Tudo encenação de uma ópera bufa, um enorme duto para escoar milhões e milhões da corrupção petista, como ficou demonstrado depois nas delações do próprio Sérgio Machado, na Operação Lava-Jato. Ciente de informações privilegiadas, Carlos Farias, corre e age à sorrelfa, às escuras e entra em cena.

Estando na posse da imensa área que ele legalmente deveria ter devolvido ao próprio municipal, oferece aos dirigentes da espelunca chamada “Estaleiro Tietê”, o aluguel para a implantação do famigerado projeto. Cobra inicialmente R$ 5.000,00 de aluguel mensal depois dobra esse valor. Ninguém sabe para onde essa dinheirama foi. Para os cofres públicos, nenhum centavo. Só em 2013, o prefeito Cido Sério recebe o tal terreno de volta e faz nova doação, desta feita para a empresa Estaleiro Tietê, diretamente. Estoura o escândalo da Lava-Jato, Sérgio Machado é denunciado e tudo vai por água abaixo. Hoje, o tal estaleiro está abandonado, nunca lançaram uma barcaça sequer no rio. Carlos Farias, sempre fugia da imprensa quando consultado sobre o dinheiro recebido dos aluguéis, Cido Sério fechou os olhos e os vereadores ignoraram o assunto. Agora, aposentado na administração municipal de Araçatuba e, gozando sempre de “prestígio” e bons contatos, Carlos Farias “virou” assessor pessoal do prefeito de Birigui. Desfila com o prefeito em viagens, contatos de alto nível, mas nunca diz nenhuma palavra sobre o destino do dinheiro recebido de um aluguel ilegal, criminoso que ele fez. 


domingo, 13 de maio de 2018

Correios - Uma vergonha!

Uma vergonha chamada Correios!
Este é o retrato dos Correios do Brasil - servidor recebendo propina. A corrupção dos governos Lula e Dilma, destruiram a empresa.

Houve um tempo em que a EBCT – Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos, ao lado da Igreja, das Forças Armadas, dos Bombeiros, gozava de grande prestígio e recebia da população a confiança. Era qualificada como símbolo da eficiência, da presteza, da celeridade e respeito. Durante o regime militar, o Correio era tido como estatal eficiente que orgulhava os militares. Entre 1969 a 1974, a EBCT foi presidida pelo Coronel Haroldo Correia de Matos, militar brioso formado no glorioso Instituto Militar do Exército, que modernizou a empresa diante dos grandes desafios do crescimento deste imenso país. O Brasil, sob a égide dos governos militares, crescia, se desenvolvia e os Correios eram parte fundamental na engrenagem administrativa para fazer face às enormes distancias do país que ainda não dispunha de malhas rodoviárias. O CAN – Correio Aéreo Nacional cruzava os céus do Brasil levando a correspondência, a informação. Nesse tempo, praticamente, os Correios era a única entidade federal representativa na maioria dos distantes municípios brasileiros. Era símbolo de uma era de orgulho notadamente para os militares que administravam com presteza e elevado espírito público. O cidadão podia confiar no carteiro, nos serviços prestados pelos Correios.

Hoje, na tal democracia, os Correios do Brasil, ao lado da maioria das empresas públicas brasileiras, entrou em decadência, estado de penúria, fracasso administrativo. O Brasil, nesse desastre que foi esses governos corruptos de Lula e Dilma, assistiu boquiaberto, a vergonhosa cena de um diretor dos Correios recebendo dinheiro oriundo de propina para a obtenção de vantagens indevidas em licitações. A denúncia feita pelo ex-deputado do PTB, Roberto Jeferson, levaria o país a mergulhar no caos do escândalo do “Mensalão”. O Brasil iria conhecer os detalhes sórdidos das maracutaias perpetradas no âmbito de uma empresa tradicional cuja história se confunde com a própria história do Brasil. O escândalo do “Mensalão” desnudaria a rotina imoral, sórdida praticada pelo governo petista de Lula que, junto com PTB, PMDB, DEM, PDT e outros partidecos menores, iria destruir a matriz econômica deste país, jogando o povo na maior crise de nossa história. Hoje, o Correio é uma empresa indigna, inconfiável, entregue nas mãos de incompetentes, incapazes, diretores indicados pelo viés político, que arrastaram a empresa para o lamaçal da corrupção, do assalto aos cofres públicos. Uma empresa em estado falimentar.

Convites postados em Araçatuba, no dia 26 de março, só chegaram no Rio Grande do Norte, no dia 11 de maio - 50 dias após! 

Homenageado que fui, com o honroso título de “Cidadão Tibauense do Sul”, pela Câmara Municipal de Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte, em sessão solene que ocorreu no dia 24 de abril passado. Com um mês de antecedência, mandei imprimir um convite que foi postado e destinado à inúmeras pessoas moradoras naquela cidade, pessoas estas muito queridas que certamente gostaríamos de vê-los presentes ao evento. Os convites foram postados na agência central de Araçatuba, no dia 26 de março. Inacreditavelmente, só chegaria ao destino, no dia 11 de maio, ou seja, 50 dias após postados aqui! Questionado, o gerente local manifestou-se surpreso e apresentou suas escusas que em nada mudaria esse constrangimento, essa vergonha! Um absurdo inominável que você confie ao correio, a entrega de uma correspondência tão importante e única! De fato, pude sentir a ausência de algumas pessoas e a explicações veio pelo fato de terem recebido o convite apenas 50 dias depois de postado! É um disparate, uma vergonha, uma calamidade! Imaginem uma noiva à espera de seus convidados para seu casamento. A igreja vazia e só 50 dias depois os tais convites chegam aos convidados. Imaginem o tamanho do prejuízo!

O PT destruiu o correio que hoje cobra até um valor excedente de seus funcionários para cobrir um rombo feito na “Postalis”, um fundo dos servidores cujo dinheiro foi roubado, desviado. Da mesma forma que o PT de Lula e Dilma encheram a Petrobrás, BNDES de ladrões, corruptos e bandidos de toda sorte, o Correio, outrora uma empresa que antes era um orgulho para o país, se tornou um antro de ratos, de ladrões. A má administração, a má gerência refletiu nos péssimos rendimentos prestados hoje pela empresa. Funcionários mal pagos, vivem em greve, a angustiante informação que a empresa fechará dezenas de agências e demitirá muitos servidores, contribui para debilitar ainda mais as estruturas dessa combalida entidade.  Hoje, seguramente ninguém pode confiar a simples entrega de uma cartinha pelos Correios. O veloz serviço denominado “Sedex”, no jargão popular virou “Se Der” eu entrego. As empresa é vista sob total desconfiança, uma indignidade que afronta a memória dos grandes brasileiros que no passado deram sangue, suor e lágrimas para erguer esta empresa, hoje maculada, destruída, jogada na vala comum da imoralidade!  


domingo, 6 de maio de 2018

MAJOR OLÍMPIO EM ARAÇATUBA:

O Major Olímpio visita Araçatuba e lança pré-candidatura ao Senado 

O Major Olímpio falando no encontro promovido pelo PSL de Araçatuba

Nascido aqui pertinho, em Presidente Venceslau (SP), em 1962, Sérgio Olímpio Gomes, o deputado federal MAJOR OLÍMPIO, pertence aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. É formado em direito, é jornalista, professor de educação física, especialista em defesa pessoal e tem vários livros publicados sobre segurança. Elegeu-se deputado federal em 2014 com 180 mil votos e sempre teve uma postura firme na defesa dos interesses das categorias de servidores públicos, especialmente dos militares e professores. O Major Olímpio, teve vários embates duros com o ex-governador Geraldo Alckmin. Em muitas ocasiões, ele compareceu à cerimônias públicas e, em tom firme, agressivo, muitas vezes usando um megafone, atacava e cobrava o governador sobre reajustes salariais e outros temas de interesse dos servidores públicos. Nessas solenidades, ele humilhou, constrangeu o governador de forma corajosa, conseguindo assim a admiração e o respeito do povo de São Paulo. No governo Dilma, o Major Olímpio também foi duro em suas críticas, tendo votado pelo “impeachment”. Ficou célebre, quando, de forma corajosa, compareceu no Palácio do Planalto e xingou a presidente que discursava e foi alvejado por um tapa na cara por uma petista desvairada, uma vadia, mal educada que, querendo defender a “presidente mocréia” agrediu o parlamentar. Educado, polido, respeitoso, o Major Olímpio não revidou.

Várias vezes, o Major Olímpio afrontou, atacou o ex-governador Alckmin cobrando melhorias nos salários de policiais e professores.

Agora, filiado ao PSL – Partido Social Liberal, o partido que sustentará a candidatura de Jair Bolsonaro, o Major Olímpio pretende candidatar-se ao senado federal. E nessa condição, esteve em Araçatuba, neste final de semana para um encontro com o diretório municipal, presidido pelo João Marin, ligado ao vereador Denilson Pichitelli. A reunião foi no “Kabanas” e contou com a presença dos vereadores Batata e Dunga, do ex-vereador Hélio Correa, várias lideranças comunitárias, presidentes de bairros e expressivas figuras da sociedade araçatubense. O diretor da Santa Casa de Araçatuba, Fernando Blaya Mendes, fez questão de comparecer ao evento para agradecer ao deputado Major Olímpio, a atenção sempre dispensada em seu gabinete e pelas verbas conseguidas através de emendas parlamentares. Os vereadores presentes, Batata (PR) e Dunga (DEM), mesmo sendo de partidos diferentes, deixaram claro a intenção de apoiarem a candidatura do Major Olímpio ao senado. O vereador Pichitelli destacou que esteve em S. Paulo quando o parlamentar filiou-se ao PSL e vai envidar todos os esforços para sua eleição.

Falando aos presentes, o Major Olímpio destacou que é preciso fazer uma reforma tributária de verdade para que os municípios possam receber mais recursos. Criticou a morte de policiais e a falta de segurança que hoje a sociedade vive. Não poupou ataques contra o governo tucano do PSDB, lembrando as denúncias de corrupção na construção das linhas o metrô paulistano. Ele lembrou os nomes dos atuais senadores de São Paulo ─ Serra, Marta e Aloysio, destacando que Serra em breve “fará companhia a Lula numa cela”. Sempre contundente, o Major Olímpio frisou a importância de se eleger Jair Bolsonaro, que certamente fará um governo diferente de tudo que até hoje o país já viu. Bastante aplaudido pelos presentes, o Major Olímpio foi extremamente elegante, gentil, posando para dezenas de fotos e dando atenção às pessoas presentes. O parlamentar deverá disputar uma das duas vagas ao senado, sendo que o PSL indicará também, a jornalista Joyce Halsemann. Dentre os possíveis nomes, sem dúvida, o Major Olímpio é de longe a melhor opção, é um político sério, honrado, tem as mãos limpas e nunca esteve envolvido em escândalos de corrupção e é ferrenho defensor dos servidores públicos.

Uma petista vadia, mal educada, grosseira agrediu o deputado federal Major Olímpio em pleno Palácio do Planalto, quando este gritou - "Vergonha!"

Em 2011, o Major Olímpio era deputado estadual pelo PDT e na época, fez uma grave denúncia contra o então suplente de deputado, o hoje prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB) que, segundo o Major Olímpio, já era pretenso candidato a prefeito em Araçatuba e, através de informações privilegiadas, Dilador já sabia antes mesmo da abertura dos envelopes, que a empresa “Ellenco Construções”, seria ganhadora da licitação para a duplicação do trecho da Rodovia Elieser Montenegro. O caso foi abandonado, mas é bem provável que por ser tucano, ligado ao governador, Dilador Borges, teria tido acesso às essas informações de forma ilegal, imoral, que contaminava o processo licitatório. Como sempre, os tucanos dominam a Assembléia Legislativa e o caso foi empurrado para debaixo do tapete, afinal, neste país, o MP só investiga os petistas. Os tucanos são considerados gente pura, santa, cheios de virtudes imaculadas. Esta é uma prova, uma mostra de que o Major Olímpio não compactua com o mal feito, com a corrupção, com a bandalheira, colocando-se assim como o nome preferencial para representar São Paulo no senado federal. 



sábado, 21 de abril de 2018

PIPA-TIBAU DO SUL:

Pipa-Tibau do Sul: De volta ao paraíso!


Não foi por acaso que “descobri” a belíssima praia de Pipa-Tibau do Sul, no ensolarado Rio Grande do Norte. Em 1994, eu trabalhava numa multinacional norte-americana, a “Seven-Eleven” na capital paulista. Ocasionalmente folheava as páginas da extinta revista “Manchete” e deparei-me com uma bela reportagem intitulada “Pipa – Aqui começa o paraíso”. Apaixonei-me pelo lugar imediatamente e logo escrevi cartas para lá, para algumas pessoas citadas na revista, buscando maiores informações. Era o fim do mundo! Sem telefone, uma pequena vila de pescadores de camarão e lagosta, as ruas empoeiradas e calçadas de pedras. Um lugar esquecido, mas belissimamente desenhado, um mar azul, uma paisagem deslumbrante! Apenas pouco aventureiros, surfistas, mochileiros se aventuravam a ir conhecer Tibau do Sul. Não havia ainda a complexa e excelente rede hoteleira e gastronômica de hoje. A carência era enorme. Pensei – “este é o lugar que desejo”! Eu já era um grande aventureiro, já havia, nos anos 70 percorrido milhares de quilômetros e já conhecia a totalidade dos estados brasileiros. Decidi ir conhecer esse “paraíso”, lá chegando em outubro de 1994. Hospedei-me numa famosa pousada da época, o “Bangalô do Nêgo”. Dias depois “virei” gerente da pousada e passei a envolver-me com a comunidade, os colegas de trabalho, garçons, garçonetes, cozinheiras, camareiras. Fui tomando pé da situação do lugar.

Logo de cara, ajudei os moradores da comunidade, chamados de “nativos”, pelos de fora, a fundar e organizar uma liga de futebol. Escrevi o estatuto e fui escolhido o presidente. Não havia telefone fixo na localidade. Haviam 2 orelhões na modalidade “celular rural”. Tinha um que ficava numa salinha da prefeitura e era chamado “telefone molecular” porque havia um moleque, o Sandro de Freitas, que quando recebia ligações ele corria nas casas das pessoas para dar o “recado” que alguém ligara e voltaria a ligar! Pasmem! Era assim!!! À noite, por ser mais barato, as pessoas faziam enormes filas para telefonar ou receber uma ligação. Era um infeRRRRno! Todo mundo escutava a conversa, não havia privacidade! Logo depois, como diziam – “A rua está cheia”. A fofoca oriunda das conversas ouvidas, se espalhava e não faltavam brigas!!! Foi a primeira luta que tivemos. Eu era gerente de um outro hotel e recepcionei um alto executivo da então TELEMAR.  Inquiri ao mesmo a razão de não termos telefone fixo, o turismo já era incipiente, surgia e havia grande dificuldade de reservas. Começamos um movimento liderado pelo atual prefeito, Antonio Modesto, à época vereador e sua esposa Gleide, era diretora da escola. Envolveu-se os estudantes e logo o telefone fixo se tornou uma realidade na virada do século em 1999.

A Praia do Giz em Tibau do Sul (RN) por volta de 1995 quando lá cheguei. 

Já bem entrosado, comprei meu primeiro lote e construí um chalé conhecido como “Ninho da Águia”. Fui convidado para dar aulas de História e Geografia na Escola Municipal “Dr. Hélio Galvão”, confesso que mais aprendi do que ensinei. Foi um grandiosa experiência. Depois ajudei a fundar a associação dos bugueiros, dos barraqueiros e das bordadeiras artesãs. Em 2002 minha irmã Jô e minha mãe Dna. Zina foram morar lá comigo, mas não se adaptando, tivemos que voltar a Araçatuba. Fui gerente do melhor e maior hotel de Tibau, o “Marinas Tibau do Sul”. Foi mais um enorme aprendizado. Recebi muitos vip’s, globais e políticos importantes. Recebi o embaixador de Portugal acompanhado do presidente da “Air Portugal” acompanhados de dezenas de jornalistas especializados em turismo. Foi o começo grandioso e a abertura das portas da Europa para o turismo potiguar. Fui vice-presidente da Polícia Comunitária (CONSEG). Mudei-me para a comunidade de Bela Vista, onde construí uma casa grande. Abri e dei nome às ruas. Tinha horta e muita plantação de milho e mandioca que distribuíamos aos vizinhos e amigos. Nesta comunidade não havia luz elétrica nem água. Eu instalei por minha conta 8 postes e puxei uns 500 metros de cano que vieram a atender os demais moradores. Gente humilde demais.

Fui pesquisador do IBGE em 1996. Juntei-me ao grupo político de Zé Odécio, a maior liderança política do lugar. Foi prefeito, vereador, secretário municipal. Até hoje exerce forte influência política. Seu filho, Antonio Henrique é vereador e herdou do pai o gosto pela política. O prefeito atual é sobrinho de Zé Odécio. As campanhas eleitorais em Tibau do Sul eram marcadas por forte posição dos partidários de Zé Odécio (de Tibau do Sul) e de Walmir Costa (igualmente forte liderança da Praia de Pipa). Apesar de ferrenhos adversários políticos, em 2004, esses dois grupos se uniram elegendo Walmir Costa prefeito, o atual Antonio Modesto, como vice e Zé Odécio, eleito vereador, foi presidente da Câmara. Foi um período de grande desenvolvimento sócio-econômico lastreado no turismo que atraiu muito investimento, especialmente de gringos que aplicaram milhões na compra de terras, construíram novos hotéis, modernos equipamentos que tornaram Pipa um destacado destino turístico em nível nacional e internacional.

Passei por Tibau do Sul, quase 14 dos melhores anos de minha vida. Por iniciativa do ilustre vereador Antonio Henrique (PSD), a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Resolução, concedendo a mim, o honroso e destacado título de “Cidadão Tibauense do Sul”, cuja sessão solene, estarei presente na terça feira, dia 24. Desembarco em Natal nesta segunda feira. Estou emocionado e ansioso para rever e abraçar velhos amigos, vizinhos, ex-alunos, ex-colegas de trabalho. Nesses anos distantes, nunca esqueci nem tirei os olhos da querida Tibau do Sul. Procurei divulgar ao máximo através das redes sociais, artigos em jornais, a exuberante beleza do lugar, as praias com seus golfinhos. Estimulei inúmeras pessoas, amigos a visitarem o Rio Grande do Norte e não foram poucos que por lá passaram. Escrevo essas “bem traçadas linhas”, na certeza de esclarecer as razões pelas quais a mim foi concedida esta honraria. Certamente muitas pessoas aqui em Araçatuba desconhecem esses fatos e estão “curiosas” do porquê desse título honorífico. Voltar ao Rio Grande do Norte, será um enorme prazer, uma honra e uma rara oportunidade para rever pessoas tão queridas!    


sábado, 14 de abril de 2018

Fim do PT sem Lula

Lula preso, marca o começo do fim do PT!


A prisão do Lula completa uma semana e, contrariando as previsões pessimistas, apavorantes do PT, o mundo continua girando, tudo está na mais tranquila paz, os poderes da República mostram-se sólidos, firmes, a democracia que os petistas tentam destruir, inexoravelmente está firme. Neste final de semana, para servir de exemplo que tudo continua funcionando normalmente, os chefes dos poderes executivo e legislativo estão fora do país. Michel Temer está no Perú na “Cumbre de las Américas”, Rodrigo Maia viajou ao Panamá e Eunício Oliveira foi ao Japão. Quem preside, mesmo que simbolicamente o país, é a presidente do Supremo Tribunal Federal, Carmen Lúcia, por força constitucional, é a 4ª. na linha sucessória. Isso prova que o Brasil, mesmo com todos os problemas que vivemos ─ Corrupção, violência urbana, desmandos, etc. tudo continua de pé suportando a anunciada tempestade institucional, o levante, a comoção que a prisão do ex-presidente iria causar. Passados esses sete primeiros dias, o acampamento dos militontos petistas em Curitiba que causam inúmeros aborrecimentos e problemas aos cidadãos de bem de Curitiba agora sofre a ameaça de uma multa de R$ 500 mil diários caso não desapareça da capital paranaense e devolva a tranquilidade e limpeza àquela bela cidade.

Os petistas, aos poucos vão caindo na real que os inúmeros recursos protelatórios e procrastinatórios para libertar Lula se tornaram ineficazes e sua permanência na prisão terá um longo tempo. Sua libertação, mesmo que provisória vai depender de um jogo de interesses jurídicos inconfessáveis, mas que cada dia mais distantes de se concretizarem. A sua presença e participação na eleição vindoura é algo distante e irrealizável. Os líderes petistas comandados pela senadora Gleici Hoffmman sabem que o PT perdeu a primazia das ruas, que o discurso de tornar Lula um mártir, perde força e o partido que antes abusava das inúmeras torneiras que jorravam dinheiro público para sustentar as ações criminosas de sublevação e subversão acabaram, secaram. O partido agoniza acéfalo, perdeu sua maior liderança, perdeu o norte e vê com enorme dificuldade enfrentar uma eleição sem bandeiras e sem quadros. O PT hoje tem 8 senadores que estão em fim de mandato e, desgastados, envolvidos em denúncias de corrupção, terão imensas dificuldades para se reelegerem. O partido em 2014 elegeu 70 deputados federais. Já perdeu 10, que pularam da canoa furada temendo dificuldades na reeleição.

Os partidos do campo da esquerda, PSOL, PCdoB, PSB, PPS, PDT que antes fechavam convictos com o lulo-petismo nas eleições, se afastaram e devem lançar candidatos próprios. Em vários estados, o PT nem conseguirá lançar candidatos aos governos estaduais e senadores. Faltam quadros. Sem Lula na disputa para a presidência, Jair Bolsonaro ganha a dianteira e pode levar já no primeiro turno pois hoje, teria o dobro de votos sobre o segundo colocado. Ciro Gomes. Este, quer visitar Lula na prisão esta semana mas o PT vê sua tentativa de aproximar-se de Lula com muita desconfiança. Em vários momentos ele fez críticas à Lula e Dilma e, na semana passada quando da prisão de Lula, não apareceu. Ciro Gomes, um sujeito de duas caras, inconfiável, desequilibrado, agressivo, tem muita dificuldade de conseguir apoio de outros partidos. Enfim, a prisão de Lula mostra que a justiça funciona e as instituições estão imunes à ideia de desestabilização. Logo Lula cairá no esquecimento e será uma página virada. Uma página triste e lamentável de nossa história. É um ser desprezível que o Brasil, sendo maior que Lula, esquecerá!   

sábado, 7 de abril de 2018

Votar nos candidatos da terra:

"JUNTOS SOMOS MAIS FORTES"
Vamos votar nos candidatos da terra!
Os pretensos candidatos de Araçatuba para deputado estadual e federal - Edna Flor (PPS) e Cido Saraiva (PMDB) e Rivael Papinha (PSB).

Não é de hoje que defendemos que os eleitores araçatubenses, votem em candidatos genuinamente ligados, com raízes na cidade, que morem, têm suas famílias e negócios ou suas atividades sejam elas quais forem na cidade. Sempre condenamos o voto nesses candidatos paraquedistas, condenamos os araçatubenses que fazem acordos espúrios, imorais com pretensos candidatos sem vínculo com a cidade. Não é demais lembrar os mais de 3 mil votos dados ao estilista Clodovil, bem como ao Tiririca, mais de 6 mil votos, simplesmente jogados no lixo. Esses candidatos aparecem nas vésperas das eleições, recebem os votos e depois somem. Um desses péssimos exemplos, podemos citar o deputado federal Rodrigo Garcia (DEM) de Rio Preto, que seguidamente recebe milhares de votos (mais de 3 mil), arrumados pelo vereador Dunga, tido como seu representante. Rodrigo Garcia foi secretário de Habitação e não se sabe de uma só casa que ele tenha construído em Araçatuba, mesmo ao tempo em que o atual prefeito Dilador Borges, ocupava o cargo de conselheiro do CDHU. O vereador Jaime (PTB) é outro que apoia candidato de fora, nesse caso, Nelson Marchezelli (PTB), que recebeu quase 2 mil votos. É aquele que disse que se pobre não tem dinheiro, não estude. Outros vereadores mantêm relações com candidatos de fora. Fato que condenamos de forma veemente.

Vamos relembrar que em 2014, os 7 candidatos de fora juntos, levaram 38.993 votos. Rodrigo Garcia, Russomano, João Dado, Thame, Marchezelli, Alvino e Fausto Pinatto arrancaram esses votos com certeza, comprando, pagando, ou existe outra razão para vereadores ou líderes políticos apoiarem tais candidaturas? Juntando os votos brancos (6.524), os nulos (4.287) e as abstenções (28.845), somando-se aos votos dados para os candidatos citados acima, são 78.649 votos! Ou seja, votos suficientes para eleger um deputado. Lamentavelmente, Dilador Borges (PSDB), Papinha (PSB), Cido Saraiva (PMDB), receberam votos insuficientes para suas pretensões e não se elegeram. Vamos lembrar que há muitos anos, o povo de Araçatuba, por razões outras, insiste em votar em candidatos estranhos à cidade. O último deputado federal eleito por Araçatuba, foi João Jorge Rezek, no distante ano de 1986. De lá para cá, nunca mais algum político local conseguiu se eleger. Já estaduais, Sidney Cinti se elegeu em 1994 e depois Cido Sério (PT), se elegeu estadual com 63.024 votos, mas pasmem! Recebeu uns 6 mil votos em Araçatuba. Em 2014, Cido Saraiva recebeu 32.514 (estadual) e Papinha 22.584 (federal). Ficaram pelo caminho.

E quais as consequências dessa desastrosa atitude do povo de Araçatuba? Simples – falta de recursos e investimentos em diversos setores da cidade. É bom que se saiba, que um deputado federal, tem à sua disposição, cerca de R$ 15 milhões por ano (R$ 60 milhões no mandato), para destinar em forma de Emendas parlamentares à sua região. É comum ver os cidadãos reclamarem da falta de empregos, oportunidades, investimentos, mas culpam o prefeito, os vereadores, esquecendo que voto é consequência. Na hora de votar, joga o voto no lixo. Repudia, despreza os candidatos da terra, imputando a estes, críticas, acusações e menosprezando a biografia do eventual candidato. Nas redes sociais vemos as pessoas xingarem os candidatos da terra, que não fazem nada, só pensam neles, e isso e mais aquilo. Acusam de corruptos, de ladrões e que não prestam. Mas, então cadê os bons? Os honestos? Os puros? É fácil diante do computador destilar ódio e críticas aos candidatos da terra, mas será que os de fora, a quem este eleitor criminosamente vendeu o voto é bom? É honesto? Quem age assim, está traindo a cidade, está negligenciando os interesses da comunidade e se corrompendo.

O evento organizado nesta semana pelo vereador Papinha (PSB), “JUNTOS SOMOS MAIS FORTES”, tem a difícil missão de esclarecer, de orientar os eleitores a se conscientizarem de que votar em candidatos de fora, é agir contra a cidadania, é condenar de forma criminosa e desonrosa o futuro da cidade. O momento é de que cada um esqueça suas convicções pessoais, seus posicionamentos político-ideológicos e somem esforços no sentido de juntar forças para eleger pelo menos um deputado federal e estadual. Alguns criticam e atacam Cido Saraiva e Papinha, mas esquecem que estes homens públicos, doam parte de seu tempo, deixam suas famílias para correr, para resolver os graves problemas da comunidade. Dizer que Papinha não fez nada, não faz nada, é no mínimo agir com má fé e ignorância. Podemos citar que a maior bandeira que o vereador Papinha pode levantar e mostrar ao povo, calando a voz crítica leviana de muitas pessoas, é a criação da faculdade de medicina da cidade. Foi uma das pessoas que mais lutou para que este importante centro de educação por excelência, viesse para nossa cidade. O que dizer de Cido Saraiva?  Ande pelas ruas, nas periferias da cidade e sintam como reagem as famílias que por infelicidade tiveram ou têm alguém gravemente doente e na hora do sofrimento, da dificuldade, encontram uma única porta aberta, u’a mão amiga para confortar e ajudar. Pensem nisso antes de criticarem e depois continuem votando, vendendo o seu bem precioso, o voto, mas depois não critique, não reclame.

domingo, 1 de abril de 2018

Terreno esbulhado:

O prefeito Dilador foi rapido em derrubar os trailers das praças. E o terreno invadido pelo vereador?

Na marra, o prefeito Dilador mandou arrancar os trailers das praças da cidade, prejudicando gente humilde e trabalhadora.
Em dezembro passado, o radialista Marco Serelepe denunciou que aquele vereador “mais santo”, “mais puro”, o “mais honesto”, um quase beato, havia invadido, esbulhado um terreno adjacente à sua propriedade e construído cerca, plantado árvores frutíferas e outros vegetais incluindo mandiocas gigantes. O tal vereador estava em férias na praia e por fone disse que em sua volta esclareceria todo o problema. No entanto, passados quatro meses, o silêncio é sepulcral. Usando de manobras e ardis, o vereador tenta esconder o assunto e fazer com que a opinião pública esqueça. O que se sabe até agora é que essa invasão, essa ocupação criminosa e indevida se deu há mais de 15 anos! O edil vem usufruindo tranquilamente de um próprio da municipalidade, sem que nenhuma providência tenha ocorrido nesse tempo. Sabe-se que a prefeitura municipal notificou o vereador para que derrubasse a cerca imediatamente e aplicou multa correspondente. No entanto, ao que se sabe, nada aconteceu. Houve até a notificação por parte do Ministério Público para que o imóvel público fosse desocupado. Há informações não confirmadas de que o cidadão que se arvora “o mais santo” apresentou um pedido de compra do terreno, algo simplesmente ilegal, ato inexistente e ineficaz. A municipalidade não pode simplesmente vender imóveis públicos sem o devido interesse público.
Mas o terreno invadido, esbulhado há mais de 15 anos pelo vereador "amigo do rei" nenhuma providência foi tomada.  

A estranheza nisso tudo, é que o prefeito Dilador, tão logo assumiu o cargo em janeiro de 2017  desenvolveu uma intensa campanha contra os proprietários do trailers existentes nas praças, condenados que foram pelo MP para desocuparem as áreas públicas. Dilador foi com toda ferocidade e força para cima dos humildes donos dos trailers para cumprir a notificação do MP. Homens, caminhões e máquinas passaram sobre os trailers e os proprietários desses eram até ameaçados, intimidados. Agora sobre essa  cerca do terreno invadido, a prefeitura faz ouvidos moucos e nenhuma providência é tomada. Claro! O tal vereador tem uma relação de subordinação ao prefeito, pois é amigo de longa data e contador particular da empresa “Basical” de propriedade do hoje prefeito de Araçatuba. Além disso, o vereador esbulhador é filiado ao PSDB, partido do prefeito e foi eleito por esta agremiação. Assim, a situação de invasão e ocupação espúria, ilegal do terreno público, sob o olhar complacente e conivente do ente público que deveria agir e determinar a imediata evacuação e a derrubada da cerca do dito terreno.


É um absurdo este episódio que está acontecendo e nada é feito. A câmara para variar, se fecha e não questiona o assunto. Nenhum vereador tem a coragem de cobrar, de exigir que providências sejam tomadas. Os coitados e indefesos donos dos trailers não tiveram o mesmo tratamento. Foram escorraçados, alguns acusados de furtarem água e energia elétrica existentes nas praças. De repente, o prefeito suspendeu a derrubada e retirada os trailers mas o clima de insegurança persiste. Agora quanto ao terreno ilegal e criminosamente ocupado, quando de fato a administração pública vai exigir e determinar a evacuação e a derrubada da cerca? Quando o prefeito vai enviar homens e máquinas vão no local fazer cumprir a lei? Esse vereador que se acha o mais “honesto” está acima da lei? Tem prerrogativas especiais? Ou apenas por ser “amigo do rei” está recebendo esse “tratamento” exclusivo e especial para ir “embarrigando” o assunto para cair no esquecimento? A lei é feita para todos e deve ser cumprida. Cadê o zeloso MP que oprime os pequenos e humildes donos de trailers nas praças?